domingo, 18 de agosto de 2019

Cachoeira Bicame

Tipo: Hiking 
Local: Santana do Riacho
Pontos visitados: Cachoeira Bicame
Duração: 1 dias
Distância: 18.61 Km
Organização: Trilhas e Trilhas


Iniciamos nossa pernada às 04:00 da manhã na Vilma Alimentos na cidade de Contagem que foi o ponto de encontro dos aventureiros, me encontrei com o guia David e embarcamos na van seguindo na MG-010 em direção a serra do Cipó, lá acessamos a estrada que nos levaria até a cidade de Santana do Riacho onde paramos naquele lindo lugar para um café da manhã.

Após 140 km de estrada chegamos no local onde iniciamos a trilha, por volta das 08:00, preparamos nossas mochilas e logo iniciamos a caminhada na direção à portaria da reserva Brumas do Espinhaço que e uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN).

Uma RPPN e uma unidade de conservação  não administrada pelo poder público e sim por proprietários particulares, no caso da reserva Brumas do espinhaço existe o patrocínio da fundação grupo Boticário e o apoio da CIA da Policia Militar do meio ambiente e do IEF (Instituto Estadual de Florestas)

Andamos em uma estrada de terra em um percurso de 4,8 km onde o acesso de qualquer veiculo e proibido pois a estrada foi interditada por tempo indeterminado pelo IBAMA desde setembro do ano 2000 justamente para preservar a área de conservação ambiental.

Essa foi a parte mais cansativa da trilha pois fizemos uma corrida de montanha, que e uma coisa que eu detestei pois não pude fazer nenhuma foto e nem descansar, sem contar que eu estava com a minha Commuter 35 com 4 quilos de água e 3 quilos de tralhas!

Depois de 1 hora e 17 minutos nesse trajeto, cheguei na portaria da reserva sozinho pois o grupo foi na frente, eu estava extremamente rabugento e mal humorado pois eu fiquei perdido na estrada! Motivo: Eu achei que poderia cortar caminho por uma pirambeira que eu encontrei, mas não deu, tive que voltar e continuar na estrada!

O acesso à cachoeira está restrito a um máximo de 30 pessoas por dia, isso justificou a corrida do grupo, estávamos em 18 pessoas e já tinham outros caminhantes e ciclistas indo naquela direção.

Início da Estrada rumo ao muro de pedra





Chegando na portaria no muro de pedra e descansamos, tivemos acesso ao banheiro e água mineral geladinha da nascente e eu infelizmente não aproveitei nada disso pois estava rabugento no meu canto sofrendo por causa da corrida de montanha.

Finalmente iniciamos a trilha, que e muito bem marcada e de grau de dificuldade praticamente nulo pois não tinha nenhum obstáculo e por ser uma RPPN, todos os pontos de obstáculos estavam bem estruturados com uma ponte de madeira!

Tudo que não e administrado pelo governo...


Não vou terminar a frase!





  





Depois de 1 hora e 40 minutos de caminhada a minha rabugice passou e eu mudei completamente meu humor! Eu vi a Bicame, a coisa mais linda, imponente e poderosa, algo lindo de se ver e ouvir!




Desci o restante da trilha animado e percebi que eu estava com saudades daquilo, da trilha, da cachoeira e de toda essa loucura que e a vida de um cara que anda no mato.






Depois de 9,3 quilômetros de caminhada cheguei no poço da cachoeira, àquele cheiro de  nevoa d'água misturado com o cheiro da vegetação, tudo estava incrível!







A água estava muito fria, de doer os ossos mas, isso não impediu alguns integrantes do grupo de dar um mergulho naquele poço gigante.











Apos algumas horas aproveitando à cachoeira partimos novamente em direção à portaria do parque onde eu descobri que a água da nascente era perfeita, tomei 1 litro de água e deitei no chão lotado de carrapatos, fiquei imaginando como seria morar naquele lugar.

Seguimos novamente na estrada de terra em direção à van e seguimos viagem rumo a Belo Horizonte com a tradicional parada no restaurante do tropeiro onde eu tomei mais água e uma taça de sorvete com banana caramelizada.






Nenhum comentário:

Postar um comentário